Coisas que você precisa prestar atenção ao viajar com seu cachorro de avião

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Themis 22/01/2021 Relatar Quero comentar

Voar com animais de estimação pode ser muito problemático para tutores e animais de estimação. Cada companhia aérea mantém suas regras específicas para cada caso.

Além disso, viajar de avião com cachorro para alguns destinos internacionais pode ser ainda mais burocrático, pois é necessário apresentar o comprovante de vacinação e, em alguns casos, microchip eletrônico e certificados sanitários adicionais.

Porém, o mais inevitável é que seu animal seja colocado em uma caixa de transporte ou gaiola, sem saber o que vai acontecer.

Cortou seu coração? Preste atenção em alguns cuidados que podem tornar sua viagem mais tranquila e sem traumas para o seu cachorro.

Diferença entre uma viagem de carro e viagem uma de avião

Transportar um animal de companhia dentro de um avião é bem diferente de transportá-lo dentro do carro.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) impõe uma série de exigências, como o atestado de saúde emitido por médico veterinário, com validade de dez dias da data de emissão, e comprovante de vacina antirrábica, tomada entre 30 dias e um ano antes do embarque.

Todas as companhias exigem que o pet seja levado em caixa de transporte e cada uma tem suas especificações em relação a peso, quantidade e onde levá-lo.

Outra informação essencial é que animais de determinadas raças são proibidos de viajar de avião, como os braquicefálicos (de focinho curto ou achatado), que podem ter dificuldade para respirar durante o voo.

Para o transporte de animais domésticos via terrestre, o correto é utilizar caixas de transporte específicas para o tamanho do pet ou cinto de segurança, medidas que evitam acidentes e zelam pela vida do condutor, dos passageiros e do próprio pet.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário