Por que e como investir em tecnologia no departamento pessoal?

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Aline 03/06/2021 Relatar Quero comentar

A evolução tecnológica tem alterado profundamente nosso modo de vida. São cada vez mais presentes discussões, em todos os âmbitos do dia a dia, relacionadas à inteligência artificial, big data, internet das coisas, entre outros termos. E na área de recursos humanos não é diferente. Hoje, uma das grandes questões diz respeito ao impacto da tecnologia no departamento pessoal.

Entre especialistas, é praticamente consenso que a inovação não só traz benefícios para o setor de recursos humanos de uma empresa como a ajuda na valorização da área como um todo. Algo extremamente necessário, visto que o departamento pessoal ainda é encarado como "menor" entre muitas das empresas.

Mas estudos recentes, feitos por consultorias muito respeitadas, comprovam a ligação direta entre a capacidade da área e o desempenho de uma organização. Para Christian Orglmeister, um dos autores do relatório Creating People Advantage, da BCG, que também comprovou a informação, isso é evidente. "Um RH forte tem clareza das competências que as pessoas precisam desenvolver e deixa isso claro para que elas saibam o que fazer para crescer e alcançar os próximos cargos", disse.

Se você ainda tem dúvidas se — e por que — deve apostar em tecnologia no departamento pessoal, acompanhe este texto. Nele, vamos esclarecer as razões para não fugir desse investimento.

Inovação com a tecnologia no departamento pessoal

Não à toa, empresas que sempre saem na frente no quesito inovação — justamente aquelas que têm essa área como ramo principal, como Google, Facebook e algumas startups — já usam, em seus departamentos pessoais, a tecnologia intensivamente, ditando uma tendência.

De acordo com a russa Anna Tavis, professora da Universidade de Nova York e fundadora da consultoria GlobalLabPlus, em entrevista a Época, além de inovar é preciso ter diálogo com outros departamentos de uma mesma organização. "Estamos em meio a tantas mudanças, promovidas pela globalização e avanço da tecnologia, que precisamos pensar como se já estivéssemos no futuro", disse.

A opinião de Tavis vai ao encontro do que escreveu Mariane Guerra (VP de Recursos Humanos na ADP Brasil), em artigo publicado na VocêRH. Ela destacou que os aplicativos de recursos humanos para tablets e celulares são exemplos de inovações já acessíveis.

As ferramentas, de acordo com a especialista, facilitam o recrutamento por meio das mídias sociais. Outra vantagem, segundo ela, é a possibilidade de que profissionais de Recursos Humanos tenham outra dinâmica de trabalho, além de uma melhor visão dos colaboradores.

Guerra não está sozinha nessa percepção. Segundo uma pesquisa realizada pela ADP Institute, a tecnologia, em breve, permitirá cada vez mais independência. Os colaboradores poderão gerenciar sua produtividade e desempenho enquanto recebem feedback em tempo real.

Comentário do usuário