O jogador Marcelinho Carioca é acusado de não pagar tratamento da mãe

O antigo jogador e ídolo do Corinthians Marcelinho Carioca teria sido processado em tribunal por não ter financiado o tratamento hospitalar da sua própria mãe. Sueli, que morreu em 2009, estava no Hospital do Cancro, quando uma transferência de unidade de tratamento gerou uma disputa entre uma mulher e Marcelinho.

Claudia Ferreira afirma ter suportado os custos de tratamento da mãe de Marcelinho e cobra R$ 123.000 do ex-atleta. Claudia diz ter sido representante legal de Ronan Maria Pinto, ex-presidente do clube de Santo André - clube onde Carioca jogou entre 2007 e 2009. A informação é de Uol.

A pedido do gerente, solicitou a transferência da Sueli para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A ideia era deixar Marcelinho mais próximo da sua mãe e prestar apoio médico num dos hospitais mais reconhecidos do país. No processo, Claudia diz ter prestado serviços privados ao cliente sem rendimentos extra, de acordo com o site.

- Marcelinho Carioca, na altura jogador de Santo André, não podia ser incomodado, e muito menos preocupar-se com este assunto - ela alega. Claudia que teria acompanhado a Sueli e assinado os documentos para o pagamento.

O homem de negócios teria prometido pagar os custos após a troca. Sueli faleceu e nada foi indemnizado. No entanto, Ronan foi preso na Operação Lava Jato em 2018. E os filhos do chapeleiro assumiram o controlo da empresa. O resultado: o acordo feito com Sírio-Libanês, de pagar R$140.000, com R$5.600 por mês, em 25 parcelas, não foi cumprido.

- Ronan não cumpriu a sua responsabilidade de pagar o tratamento da Sueli, nem o seu filho (Marcelinho Carioca), e por isso a queixosa (Claudia) sofre com a apreensão da sua conta e bens numa acção executiva (movida pelo Sírio) - sublinham as advogadas da mulher.

No total, a advogada exige o pagamento de R$ 16,8 mil de prestações que pagou ao hospital, além de R$ 8,5 mil em penhoras de honorários e mais de R$ 99 mil de diferença na execução movida pelo hospital, de acordo com o portal.

Comentário do usuário