Crise do novo coronavírus promove desafios para a indústria e para o Brasil

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Aline 04/06/2021 Relatar Quero comentar

Após um 2019 difícil, a indústria brasileira começou a apresentar sinais de recuperação em janeiro deste ano. O faturamento real do setor teve alta de 1,5% na comparação com o mês anterior, e a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) atingiu 78%, elevação de 0,4 ponto percentual ante dezembro – dados dessazonalizados coletados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os números trouxeram alívio para um setor vital para o reaquecimento da economia brasileira. A indústria é responsável por 71,4% das exportações de bens e serviços do país e, no 2º semestre de 2019, só a indústria de transformação registrou 10,7 milhões de pessoas empregadas – 1,3% a mais do que no mesmo período de 2018 e o melhor dado desde 2015, quando o setor empregava 11,5 milhões de trabalhadores.

Os indicadores de janeiro apontavam que, certamente, iria ocorrer uma retomada expressiva da indústria brasileira, a ponto de todas as previsões indicarem que o crescimento do setor em 2019 ficaria em torno de 2,8% — acima da previsão de 2,5% de crescimento do PIB nacional.

Mas eis que, subitamente, chegou a crise do novo coronavírus, e todas as previsões otimistas se desfizeram. Agora, a perspectiva é de que o crescimento do país neste ano será negativo, culminando em uma recessão econômica sem precedentes. Neste novo cenário, o setor industrial, maior gerador de empregos do país, será o mais afetado.

Comentário do usuário