Mercado Pet cresce e vira nicho de oportunidade

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Aline 26/07/2021 Relatar Quero comentar

Olá, querido amiguinho.  É claro que hoje ainda vou compartilhar com você um pouco sobre o aspecto financeiro do conteúdo, afinal de contas, você também sabe que sou principalmente para compartilhar o conteúdo financeiro, não estou brincando com você, vamos entrar no assunto principal e dar uma olhada no que estou compartilhando com vocês hoje.

O Mercado Pet continua mostrando fôlego mesmo com a crise financeira do país nos últimos anos. O segmento vem batendo recordes de faturamento ano após ano no Brasil.

Para se ter uma ideia, de acordo com o balanço realizado pelo  mostrou que ocorreu uma alta de 4,6% nas vendas de produtos voltados para o segmento pet em 2018.

Além disso, o faturamento foi de R$34,4 bilhões em 2019, próximo aos R$32,9 bilhões movimentados no ano anterior. A participação do setor representa 0,36% do PIB brasileiro e coloca o país no patamar de segundo maior mercado pet do planeta, suplantado apenas pelos Estados Unidos.

Mas é claro que a crise em 2020 teve reflexo no mercado pet. De acordo com o Sebrae, 72% dos pet shops sofreram redução de faturamento de, em média, 37% em meados do ano passado.

Portanto, além de opções mais tradicionais, como os pet shops e a venda de produtos alimentícios, o mercado gera novas oportunidades.

Principalmente para serviços voltados para um público mais exigente, que não mede esforços para agradar o seu animal de estimação.

Onde estão essas novas oportunidades?

Os gastos com alimentação ainda são responsáveis por 70% do mercado. O dado é da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet).

No entanto, especialistas do setor apontam uma tendência de crescimento cada vez maior de nichos que priorizem o bem-estar e qualidade de vida do animal.

Caso do daycare personalizado e de serviços como acupuntura, fisioterapia e até cromoterapia.

O mercado pet tem tendência de crescimento para os próximos anos

Para se ter ideia, o Brasil está apenas na 42ª posição em termos de gasto médio por animal de estimação.

Os brasileiros gastam U$67 dólares anuais, enquanto em países como o Chile, gasta-se uma média de U$423.

Mais de 130 milhões de animais de estimação no Brasil

O Instituto Pet Brasil estima que o Brasil possui 139,3 milhões de animais de estimação.

Em 2018 foram contabilizados no país:

cães – 54,2 milhões; aves – 39,8 milhões; gatos – 23,9 milhões; peixes – 19,1 milhões; répteis e pequenos mamíferos – 2,3 milhões.

Em 2013, a população pet no Brasil era de cerca de 132,4 milhões de animais. Último dado disponível quando a consulta foi feita pelo  .

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário