Investimento no SNS permitiu retorno de 6,8 mil milhões para a economia

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Aline 15/06/2021 Relatar Quero comentar

O investimento no Serviço Nacional de Saúde em 2020 permitiu um retorno de 6,8 mil milhões de euros para a economia, tendo em conta o impacto dos cuidados de saúde no absentismo e na produtividade, conclui um estudo hoje divulgado.

"É um valor impressionante, significa que num só ano cerca de metade do investimento que é realizado no SNS é imediatamente retornado para a sociedade. Curiosamente, num ano em que existiu perda de atividade, o valor até foi ampliado", afirmou o coordenador do estudo da Nova Information Management School (NOVA-IMS), Pedro Simões Coelho.

Em declarações à agência Lusa, Pedro Simões Coelho explicou: "Em primeiro lugar, há uma perda de atividade, mas muitas pessoas continuaram a beneficiar do SNS. Por outro lado, o SNS inclui também as terapêuticas e medicamentos que o Estado comparticipa (...). Por ultimo, este valor dos 6,8 mil milhões inclui os doentes covid-19, que foram quase um milhão e o SNS teve um contributo muito grande para a redução do seu absentismo e para a melhoria da sua produtividade".

Segundo os dados do Índice de Saúde Sustentável, desenvolvido pela NOVA-IMS, este retorno foi superior (mais 1,4 mil milhões) ao valor apurado em 2019 (5,4 mil milhões).

De acordo com os dados do estudo, a que a Lusa teve acesso, a maioria dos portugueses faltou pelo menos um dia ao trabalho em 2020 por motivos de saúde e 17% faltaram mais de 20 dias. No entanto, a prestação de cuidados de saúde pelo SNS permitiu evitar uma ausência laboral equivalente a 2,9 dias, representando uma poupança de mil milhões de euros.

O SNS permitiu ainda evitar 9,9 dias de trabalho perdidos em produtividade, resultando numa poupança de 3,5 mil milhões de euros. No total, somando o impacto no absentismo e na produtividade, o SNS permitiu uma poupança global de 4,5 mil milhões de euros (mais 900 mil do que em 2019).

Considerando o impacto dessa poupança por via dos salários e a relação entre produtividade/remuneração (valor referência do INE), o estudo conclui que os cuidados prestados pelo SNS permitiram um retorno para a economia de 6,8 mil milhões.

Os dados indicam também que o índice de sustentabilidade do SNS deu uma queda com a pandemia, baixando de 101,7 em 2019 para 83,9 pontos em 2020. Contudo, se não fosse o efeito da pandemia, o índice estimado era de 103,6, segundo o estudo.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário