Auxílio emergencial: Motivos usados pelo governo para cancelar seu benefício

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Aline 09/06/2021 Relatar Quero comentar

O auxílio emergencial tem como intuito a ajudar a população mais carente a enfrentar os impactos gerados pela pandemia de Covdi-19. Diante disso, para ser beneficiado é necessário atender a diversos requisitos.

O auxílio emergencial começou a ser pago no mês de abril do ano passado devido à pandemia. Na ocasião, o presidente da república anunciou o pagamento de três parcelas de R$ 600. Com o avanço da doença, essas parcelas foram prorrogadas por mais dois meses.

Em setembro, o chefe do Executivo anunciou mais uma prorrogação, porém, com algumas mudanças. As novas quatro parcelas seriam de R$ 300 e pagas até dezembro do mesmo ano.

Dessa maneira, apenas quem teve a primeira parcela liberada até o mês de julho teve acesso ao valor, integral ou parcial.

Critérios do auxílio emergencial 2020

No ano passado, o auxílio contemplou 68,2 milhões de pessoas. Desse quantitativo, todos os 14,6 milhões de beneficiários do Bolsa Família receberam a ajuda financeira. Porém, ao serem pagas as parcelas extensão de R$ 300, parte voltou a receber o programa assistencial.

Isso ocorreu porque o governo garantiu o pagamento do benefício de maior valor. Para receber o auxílio emergencial 2021 era preciso estar dentro de uma das situações listadas abaixo:

Ser trabalhador informal; ou Ser trabalhador autônomo; ou Beneficiário do Bolsa Família; ou Estar desempregado; Ser Microempreendedor Individual (MEI).

Comentário do usuário